A maioria dos exames nacionais que avaliam o desempenho dos estudantes brasileiros, nas mais diversas etapas de escolarização, demonstra que temos problemas sérios de ensino e de aprendizagem na educação brasileira.

Por que é difícil aprender? O que de fato poderia motivar as pessoas para a percepção de que conhecimento é fundamental para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Uma das possíveis respostas está justamente na forma com que lidamos com a aprendizagem. Passamos um período enorme do nosso tempo ouvindo e fazendo uma série de anotações e exercícios, mas é raro o momento em que alguém discuta sobre a importância de saber estudar.

Parece até que estudar é pegar a mochila, colocar nela alguns materiais e ir à escola. Lá, o estudante entra numa sala, ouve e registra (às vezes) informações passadas pelos professores e pequenas discussões de colegas.  Após o encerramento do período, volta para casa e são feitas muitas coisas, menos retomar e organizar o que foi discutido naquele dia.

É certo que o tempo não tem sido um grande aliado. Apesar de tanta tecnologia, ela não dá conta de fazer aquilo que depende exclusivamente de nós. Cansados, depois de um dia duro, passamos  a assistir televisão e, logo em seguida, dormir. Com certeza isso não é o bastante para aprender.

Seria bom se houvesse um milagre que nos fizesse aprender por um passe de mágica. Mas não é assim. Aprender, para habitar o conteúdo, exige muito trabalho, disciplina e concentração.

Não fique triste. Essa é uma questão que podemos resolver tranquilamente É possível aprender a aprender. A ideia é discutirmos, sobre como adquirir hábitos de estudo. Em que momento, lugar e de que forma poderíamos melhorar nossa relação com a aprendizagem.

Além disso, falaremos sobre como fazer apontamentos em sala, para recordar com mais precisão o que foi trabalhado; formas de apresentar seminários e trabalhos e daremos dicas de como cuidar da escrita.

No próximo post, começaremos com “o melhor ambiente para estudar”.

Espero por vocês neste novo espaço e não deixem de postar seus comentários, sugestões e dúvidas.

Abraços.

16 respostas para “ESTUDAR DEVERIA SER UM VÍCIO…”

  1. Teobaldo Rivas disse:

    Ser alfabetizado esta limitado a ler e escrever, mas para aprender é necessário também saber ouvir e falar, ou melhor se comunicar. Pelo fato da nossa educação estar centrado na figura do professor, detentor máximo do saber, habilidades como compreender, refletir, deduzir, interpretar, imaginar, dentre outras também essenciais ao aprendizado para a vida, não são estimuladas e desenvolvidas. Aproveito a oportunidade para estimular outro vício, saudável é claro, o da leitura.

    • Carlos Andrade disse:

      É isso mesmo Teobaldo e Marilda. Infelizmente, a educação formal brasileira deixou de lado questões importantes como o desenvolvimento criativo e crítico da leitura e da produção escrita, valorizando o desenvolvimento de atividades mecânicas, muitas vezes, sem sentido ou nenhum tipo de reflexão. É importante que os professores da educação básica ao ensino superior reflitam na mudança de cultura educativa que precisa ser provocada nos estudantes. Precisamos, cada dia mais, de jovens que sejam estimuladas pela busca constante do saber e do prazer. Conhecimento para mim é isso: saber e prazer. Por certo, a leitura é uma peça fundamental nessa busca que deve ser constante.
      Abraços e grato pela participação, sem ela, este blog seria uma ferramenta vazia.

  2. Marilda da Silva Ortega disse:

    O mesmo pode ser aplicado para os dias de prova. Se estudarmos todo dia um pouquinho, quando chegar o dia “D”, já saberemos boa parte da matéria. Com certeza a leitura deve ser um hábito prazeroso, onde bebemos de várias fontes e adquirimos muitos saberes. Como aluna, aguardo ansiosa pelo próximo post para por em prática essas dicas. Até mais.

    • Carlos Andrade disse:

      Marilda, fiquei feliz com os comentários. Gostei muito do que disse sobre a leitura e de que ela deva ser um hábito prazeroso. Sei que é difícil ler um romance que gostamos e um artigo acadêmico com o mesmo prazer, mas hábitos de leitura levam o estudante a ser um, se é que posso chamar assim, APRENDENTE. Ele vai construindo o seu caminho, para conhecer cada vez mais e melhor. Como tem e terá afinidade com uma determinada área do conhecimento, acredito eu, que goste muito dela, desejará cada vez mais aproximar-se do conhecimento específico, para ficar na crista da onda. E como leitor de literatura, aprenderá que é possível viajar pelas fantásticas paragens da ficção.
      É isso, deixa eu parar que já estou escrevendo outro post, rs.
      Abraços e até o próximo.

  3. Ivan de Freitas C. disse:

    A aprendizagem por si só é um exercício que escapa a natureza humana razão pela qual aprender exige muito além da técnica ou vontade, é preciso despertar valores e normas sociais e nelas alcançar o entendimento da transcendentalismo do aprender como o equilíbrio para a própria vida, em outras palavras aprendizagem deve estar guiado pela chama da consciência moral.Porem a moral, há muito, deixou de ser romântica e a aprendizagem seguiu o mesmo destino ambas guiadas pela impessoalidade semeada pelo conhecimento acumulado,uma espécie de Édipo atravessando o tempo e assassinando seu progenitor. Por tanto considero que para recuperar o romantismo da aprendizagem é necessário voltar a entender o ato de aprender como um fim em si mesmo e não como um meio para agregar um ponto mais no vasto emaranhado intelecto humano.vê-lo então como um elemento vital do ser humano e ir encontra dos meandros tecnológicos insistentes em dizer, silenciosamente, que a aprendizagem esta em apenas um “clic”.

    • Carlos Andrade disse:

      Ivan, entendo quando diz de uma experiência transcendente. Quando se acha o caminho e ele é pessoal, apesar das relações sociais necessárias a aprendizagem, podemos não só sentir o sabor da caminhada e do fruto da construção, como entender também que aprender é uma experiência de amor e afeto, pois, cada pessoa consciênte deveria adquirir conhecimento para melhorar as condições da existência de todos e de tudo. Pena que nem sempre é assim.

  4. Mary Wakabara disse:

    Como mãe de uma menina em idade escolar, equacionar devidamente todas as variáveis envolvidas no ato de estudar é uma árdua tarefa. Acho que nos preocupamos mais com o que vai acontecer amanhã e do que com o que fazemos agora “tome banho logo, pq senão, vamos jantar tarde e amanhã você não vai querer acordar cedo”, “termine a lição em 15 minutos, senão o jantar esfria” e por ai vai..Não me recordo dessa pressa constante em minha infância. É. Os tempos mudaram. Agora, passam bem mais rápido do que antes..

    • Carlos Andrade disse:

      Mary, sei bem o que quer dizer. Hoje, com a velocidade de tudo que está relacionado a vida, há um sentimento que envolve às pessoas – parece que sempre há o que fazer, e tudo o que fazemos não está completo. Na realidade, o tempo de reflexão é humano e exige um tempo diferente das máquinas. Acreito muito que toda a experiência de aprendizagem é como disse ao Ivan, acima, uma experiência de amor. O importante é mostrarmos o caminho e oferecermos às oportunidades, nossos filhos, encontraram a sua estrada.

  5. Nossa! Como acredito que um dia a leitura possa ser um vício gostoso e de que ninguém poderá largar jamais, mas para que isso ocorro realmente nos dias de hoje, como professores devemos incentivar, levar a leitura para a sala de aula com bons textos e de que ler não é somente para conhecer e sim para voar até o imaginário. Quando contamos uma historinha para alguma criança a imaginação é a primeira que você olha e está estampada em seus olhos, pois elas invadem a história e querem ser os personagens. Acredito que a leitura deva invadir a nossa imaginação e permitir que nós possamos entre nos fatos e assim saborear desse vício gostoso.Adorei este texto e os comentários foram super pertinentes. Abraços
    á todos!

    • Carlos Andrade disse:

      Oi Vera,

      Grato por deixar aqui seu recado. E o que você diz é muito importante. Para termos uma leitura prazerosa, devemos mudar as estratégias de ensino de leitura que a escola tem desenvolvido à respeito dela.
      Algo importante a refletir seria: como transformar nossos professores em leitores, para que eles formem estudantes leitores. Dificilmente alguém ensino aquilo que não faz, ou aquilo que não gosta. Há muitas coisas para acertar, não é? Mas acredito que é possível.

  6. Roberto disse:

    Caro professor, venho através desta deixar aqui neste os dados sobre o livro que o senhor havia me pedido: Forma e sentido do texto literário

    Salvatore D’ onfrio
    editora ática

    Sem mais, um abraço

    • Carlos Andrade disse:

      Olá Roberto,
      Grato, mas lembre-se que o blog é um local de fazermos comentários dos textos aqui postados. Lembra que falei de gêneros? Abraços e até mais.

  7. Andréa Silva disse:

    Aprender, realmente deveria ser um vicío. Muitos acreditam que estudar é obrigação, os mesmos param de estudar no ensino fundamental, sem saber se quer fazer a própria assinatura. Então eu acredito que estudar é realmente um vicío para aqueles que se deixam “possuir”. ou melhor, aqueles que descobrem a leitura e a escrita, passa a se torna amante de bons livros e quem sabe tambem um grande escritor. É gostoso aprender, mas o mais gratificante é ensinar.

    • Carlos Andrade disse:

      É isso Andréa, quando gostamos de aprender, sentimos um prazer tão gratificante e nos sentimos tão cheios desse conhecimento que nos resta ensinar, para dividi-lo com alguém. O prazer de ensinar é fabuloso, mas na verdade só funciona quando sabemos de fato, pois há uma necessidade intrinseca ao ensinar que é saber.
      Abraços, continue particpando.

  8. Fernanda disse:

    isso é verdade Prof°Carlos,muitas vezes tenho vontade de estudar,mas como vc mesmo disse depois deum dia duro de trabalho,quando chego em casa só penso na minha cama!Ja tentei muitasvezes ler algo que foi dado na materia antes de dormi,mas acordei muitas vezs de madrugada em cima do careno ou livro. rs!
    entao como faço pra APRENDER A APRENDER? POR FAVOR ME DE UMA LUZ…
    Estudar não é facil,quero conquistar meus sonhos ,sei que pra isso vou ter que ralar muito,estudar deveria ser sim um vício.
    Bjss

    • Carlos Andrade disse:

      Olá Fernanda,

      Bem, não há caminhos mágicos, mas podemos construir momentos que, de início, sejam até pequenos e posteriormente sejam ampliados.

      Veja os demais post, vou falar sobre como aprender e como estudar, ok?

      Abraços

Deixe uma resposta

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS