Por  Renato Padovese

Na minha tese de doutorado, escrevi uma dedicatória aos meus pais que dizia: ‘porque o maior bem que se pode deixar para um filho é a educação’. Tenho que admitir, não fui muito original. Afinal, bens materiais podem ser ganhos ou perdidos ao longo da vida, enquanto que o conhecimento ninguém tira da pessoa, já dizia o velho e sábio dito popular. Porém, o efeito desta frase despretensiosa foi surpreendente, porque foi a primeira vez que vi meu pai chorar.

A dedicatória, embora simples e óbvia, revelou meu profundo agradecimento e reconhecimento e isto foi o que emocionou meus pais. Lembrei-me deste episódio porque não poderia deixar de reconhecer também a influência que os meus professores exerceram na minha educação, na minha formação pessoal e profissional.

Obrigado Tia Nega, Juca, Pasquale, Alfredo Areas, Plíno Chapchap, Rui Curi e tantos outros, muito obrigado por me ensinarem o poder das palavras e dos números, apontarem caminhos, incentivarem o gosto pela pesquisa, despertarem minha curiosidade, por mostrarem a importância do debate, do respeito e da ética. Caros professores do UDF, recebam meu abraço e tenham a certeza que neste dia 15 de outubro, dia do professor, muitos estarão também pensando em vocês, reconhecendo sua importância em suas vidas. E não se envergonhem se o pranto rolar.

Deixe uma resposta

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS