Por Prof. Carlos Andrade

 

A cada dia olho com muito dissabor o trânsito de São Paulo. Sei que já não é uma questão da nossa cidade apenas, mas tive de mudar de casa, para pegar o contra fluxo, ou teria uma taquicardia sem precedentes.

Todos sabem o que significa trânsito? Bem, Michaellis diz que:

img_tabela

São tantas as possíveis definições, mas nenhuma delas me deixou feliz, tendo em vista a vivência do cidadão paulistano. Para entender o título deste post, é importante conhecer o significado de “arcaísmo”:  falta de uso de determinada palavra em uma língua. Acompanhem, pois “transitar” pode ser algo que deixe de existir.

O primeiro conceito ligado a esta palavra diz que trânsito é “ação ou efeito de transitar”, ou seja, o verbo indica movimento, ida de um lugar para outro. No entanto, parece-me que o vocábulo está em transição significativa, logo, transitar, se as coisas não mudarem poderá indicar a saída de um veículo para ficar parado junto com outros na rua. Observem:

trânsito

Parece brincadeira, mas não é… a cada dia o número de carros aumenta e o de estradas permanece o mesmo. O pior é que ninguém mostra estudos que possam dar conta de ajustar o problema. Não há planejamento para o transporte coletivo que fizesse a população deixar o carro em casa, pela menos que seja do nosso conhecimento. Dessa maneira, corredores de ônibus, metrô e outras possibilidades já não dão mais conta.

Que tal entrarmos em um ônibus:

ônibus lotado

Agradável, disputar um lugar. E vejam que desaparece até a noção de cavalheirismo. Cada um pra si e Deus dê um lugar para quem tiver força e sorte.

Outro transporte que nos dá orgulho é o nosso Metrô, puxa quanta sofisticação:

metrô lotado

Calor humano é o que não falta. Não é possível sair para o trabalho ou voltar para casa sem experimentar um alto grau de estresse.

Pensam que nossos aeroportos estão melhores? Ledo engano:

aeroporto lotado

Agora fico pensando: com esses problemas de transporte individual e coletivo, como daremos conta para atender todos os turistas que desembarcarão no país para a Copa do Mundo? Os únicos que conseguirão transitar se houver urbanidade, serão os jogadores no campo. Espero que a vergonha que passaremos não nos deixe em posição ruim em algum ranking mundial, pois os últimos que tenho lido sobre educação, saúde e outras questões não são muito bons.

Daqui a pouco, conseguiremos apenas usar o verbete “trânsito” para significar apenas morte, passamento (item 6 do dicionário), pois de certa forma as pessoas preferem que esse fique bem congestionado.

E aí? Vamos até o metrô Sé, pegando o trem em Artur Alvim? Convite de grego, né!. Lembrei-me de uma novela: “Entre tapas e beijos” podemos conseguir.

Se não observarmos qualquer evolução para o trânsito neste ano, precisamos mudá-lo nas próximas eleições.

2 respostas para “Transitar: em breve um arcaísmo”

  1. Sofia T. Gonsevski disse:

    Não pude deixar de imaginar no dia da abertura da copa, os “gringos” espremidos no Metrô e na CPTM, o trânsito nos arredores. Vamos ver o que acontece neste dia e por quais meios de comunicação vamos saber primeiro.

  2. carlos disse:

    A palavra chave é trabalhar em casa, trabalhar à distância, e, de casa resolver problemas. Só deixar para se locomover ao trabalho, quando forem atividades onde não temos como levar os equipamentos para casa, ou visitas técnicas… Ex: Fábrica de automóveis, pois, até fábrica de roupas dá para montar em casa.

Deixe uma resposta

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS