Quadradinho de oito

17/abr/2013

Prezado leitor, caso você não entenda o título dessa matéria, não se culpe. Agradeça aos anjos, na verdade. Trata-se de um novo “passinho” – coqueluche do momento – na onda funk brasileira, já que nem mais como carioca podemos classificá-la. Apenas no nível didático, a “dançarina” (muitas aspas aqui, por favor) se posta com a região cervical apoiada no chão, pernas entrelaçadas ou cruzadas ao ar, e deve rebolar freneticamente, imitando a posição 274 do Kama Sutra (não adianta ir verificar se a citação está correta, pois não está… chutei, mesmo!). Não sei sua opinião, mas acho lamentável imaginar que a intenção da garota é seduzir o rapaz em movimentos tão explícitos sugerindo o coito. Não há sedução ou insinuações sensuais aqui: há a clara e direta exposição da região genital feminina à apreciação do mancebo. O ato é tão explícito que desconfio que seja possível uma avaliação organoléptica a certa distância!

Dizem os grandes antropólogos que a dança é a mais pura manifestação cultural de um povo. Tal conceito me traz incomensurável vergonha pensando, sob esta premissa, na imagem que o Brasil transmite as outras nações. Na verdade, a dança deve estar coordenda ao ritmo e, obviamente, as letras/temáticas relacionadas àquele estilo musical. O funk brasileiro, como é atualmente promovido, prima em relatar uma realidade perversa da sociedade, principalmente daqueles que têm maiores dificuldades de projeção social. Na maioria das vezes, as músicas enaltecem as contravenções, malandragens e falcatruas criadas por estes “funkeiros” para adquirir uma imagem de prestígio ou causar impacto na sociedade.

Em termos comportamentais, todos nós, humanos, buscamos uma identidade que nos dê um sentido de inclusão a um determinado grupo. Assim sendo, os temas do funk brasileiro giram em torno de sexo, ostentação (por itens capitalistas de status, principalmente automóveis), drogas e contatos/confrontos com a polícia. Quando um jovem rapaz passa pelas avenidas (de carro ou de bicicleta, acreditem) tocando, em alto volume, um funk “proibidão”, ele quer transmitir a seguinte mensagem: “Sou malandrão, pegador e vida louca” (traduzindo: sou degenerado, sigo no caminho torto). As garotas que se atraem por esse estereótipo, captam exatamente a mesma mensagem por que pertencem a esse mesmo grupo, cujos valores são comuns. Garotas de níveis socioculturais diferentes, não sintonizam a mesma frequência e tendem a desprezar esse modelo masculino. Contudo, o ser humano possui um espírito transgressor, de anseio em quebrar regras e barreiras. Tal fato justifica o porquê de encontrarmos alguns indivíduos de grupos ou contextos diferentes também inseridos na temática “proibidona”.

Não vou negar que o RAP americano compartilha da mesma filosofia do funk brasileiro e que celebridades milionárias como 50Cent, Snoopy Dog, etc. são referências mundiais no estilo. A premissa aqui é exatamente a mesma. Tais referências instantaneamente se transformam em ídolos e, infelizmente, também em exemplos a serem seguidos pelos jovens em formação. A mensagem truncada transmitida por esse funk agressivo aos jovens (ainda em formação de caráter) é que este estilo – musical e de vida louca – representa uma excelente estratégia de enriquecimento rápido a baixo custo e esforço. Mas qual é a porcentagem de indivíduos inseridos neste contexto que obtêm real êxito? Baixíssima. Quantos padecem durante o percurso de baixo custo e esforço? A estrondosa maioria, claro. Até mesmo no cenário internacional, figuras lendárias como Tupac e Notorious B.I.G. se foram prematuramente por seus estilos de vida às avessas. Cálculos simples de probabilidade podem comprovar que, definitivamente, seguir esse estilo não vale à pena.

Assim sendo, gostaria de lembrar que nós aqui (editor e leitores) indubitavelmente não representamos uma fração representativa da população brasileira. Somos acadêmicos e, portanto, pertencemos a uma elite cultural (bem diferente da grande maioria de brasileiros), na cidade mais rica, do Estado mais rico, da região mais rica do Brasil. Nós não somos o Brasil, em sua média. Sem um senso crítico e de bom-gosto ao menos ponderdo, não é possível perceber que todas as atuais músicas de funk degenerado (como vem sendo produzido no Brasil) possuem estritamente a mesma base rítmica. Um molde pronto e de fácil produção em massa que só serve para extrair dinheiro de seus pouco exigente consumidores, garantir aos seus autores os 15 min da fama pré-anunciada por Andy Warhol (nos anos 70) e agredir os ouvidos daqueles que buscam algo mais aprazível que um simples “pum-pum-chak-pum-chak”. O pobre James Brown deve estar sofrendo muito onde quer que esteja…

111 respostas para “Quadradinho de oito”

  1. Ivan Sanches disse:

    Mais uma vez devo concordar com você Marcelão hehehheeeh Nos irritamos com coisas semelhantes e nunca nos aguentamos quietos ( quem sabe ajude um ou outro refletir melhor sobre os próprios valores).

    • Marcelo Paesde Barros disse:

      Olá Ivan,
      Pois é, meu amigo. Sei que o espírito transgressor e de quebra de conceitos pré-estabelecidos faz parte da juventude (Elvis Presley nos anos 50, Beatles e Rolling Stones nos 60, punks nos anos 70-80, etc.) mas nesse caso não há qualquer premissa ideológica ou uma causa a ser defendida, a não ser a sensualização chula dos jovens… me parece degeneração social, sei lá. Abraço

    • Carlosq disse:

      Está certo que gosto não se discute. Mas que a imagem do país lá fora preocupa, isso sim.

      A cada ano surge uma nova música que não acrescenta nada de valor. Lamentável!

  2. Pô, professor, concordo com tudo que o senhor pôs aí em cima. Contudo, não levo o funk tão à sério assim. Acho-o até que engraçadinho, sabe? Por mais que ele seja um estilo de vida, um traço cultural e/ou um gênero musical de qualidade discutível, acho a sinceridade escrachada dele algo deveras impressionante! Nele é tudo tão óbvio, tão esfregado (literalmente e fisicamente) na nossa cara que assusta, sim, mas não deixa de ser um tipo de entretenimento também, né? Podemos até ter perdido as sutilezas, a sedução, o mistério que fustiga a nossa curiosidade, mas ganhamos uma bomba, um choque que não só choca (trocadilho sem-vergonha esse), mas que pode despertar os mortos-vivos que andam por aí capengas.

    • Marcelo Paesde Barros disse:

      Oi Bruno,
      Sim, refletindo um pouco, há algumas músicas de estilo “funk nacional” que remetem à picardia e diversão. Principalmente, as mais antigas: “Feira de Acari”, “Qual a diferença (entre o Charme e o Funk)” e até a atual “Lekleklek” são, digamos, inocentes. Servem para balançar. Ok. Minha repulsa é por aquelas que ouço com maior frequência nos arredores de São Miguel à noite. ABRÇ

    • Marcelo Paesde Barros disse:

      Hahahahahah, bom comentário “Saiba como” (?!)
      Quero ver o Neymar fazer essa dancinha nas comemorações de gol! ABRÇ

  3. Saiba Como disse:

    É impressionante.. todo mês aparece algo novo na mídia.. Pelo menos estes passos dificilmente o Neymar irá fazer nas suas comemorações, porque se fizesse, no outro dia é top hit/moda nacional.

  4. Léa disse:

    Pois é minha gente, o Neymar não fez a coreografia ainda. Já a Sra. Justus (Ticiane Pinheiro), sim. E ainda contou com Ana Hickmann como parceira, colocando suas pernocas de 1m20 para o ar.
    Diante disso tudo, só peço a Deus q minha sobrinha não tenha esse mal gosto.
    :)

  5. uhahuahuahuahu, cada uma que aparece, mais é aquilo, gosto não se deve descutir !

  6. Fernando disse:

    Parabéns Professor. Falou tudo!

  7. Marcelo Paes de Barros disse:

    Essa foi a melhor resposta para aquela música medíocre!
    O Bonde das Matemáticas!
    http://www.youtube.com/watch?v=9kEjcdpqqS8

  8. É cada coisa que aparece na mídia, eu não entendo como as pessoas gostam disso e como isso faz sucesso.

    • Marcelo Paesde Barros disse:

      Olá Julio
      me disseram que era só diversão e para não levar tão à sério. Não achei assim tão inocente qdo vi, em pleno calçadão, duas crianças de uns 5-6 anos imitando os movimentos.
      Abrç

  9. Renata disse:

    Me diz uma coisa, como isso foi parar na televisão ? as pessoas estão perdendo a cabeça.

    • Marcelo Paesde Barros disse:

      Olá Renata,
      Pois é, vale tudo pelo ibope para conquistar patrocínio e merchandising. Até mesmo contribuir para a estupides e idiotização da população brasileira.
      Abrç

  10. Juan disse:

    É isso aí Marcelo, você disse a coisa certa.

  11. Mario disse:

    Bela matéria isso é a pura verdade.

  12. Ricardo disse:

    Estamos no ano de 2013 e ainda vem muita coisa pela frente.

  13. Rafael Soldenberg disse:

    Que visão preconceituosa e vergonhosa, o mais nojento é no final quando se autodenomina uma elite…

  14. Marcelo Paesde Barros disse:

    Prezado Rafael,
    Se estivéssemos tratando de uma forma legítima de expressão CULTURAL, concordaria com minha visão preconceituosa. Mas, no momento que vejo crianças de 5-6 anos imitando as irmãs adolescentes em pleno calçadão, com as mãozinhas no chão e rebolando, me questiono como esse funk “probidão” traz qualquer influência positiva à população.
    Quando menciono elite cultural, quero dizer que a comunidade acadêmica traz muitos anos de estudos e conhecimento e que, infelizmente em nosso país, não é a realidade da maioria das pessoas.
    Não vejo nada de vergonhoso, muito menos de nojento nisso. Nojento acho as mães e as avós rindo das crianças rebolando com a calcinha à amostra na frente de outras pessoas. Se é esse o exemplo que vc dá a suas irmãs, filhas, etc, acho que vc deveria rever seus conceitos.
    Um abraço

  15. Rafael disse:

    Gostei do “pum-pum-chak-pum-chak” ouço direto essa “porcaria”,não tem jeito os funkeiros não conhecem um fone de ouvido rsrs

    Mas não adianta falar,tem que fingir que não exite/ouviu,embora muitas vezes irrite muito rs,porque se reclamar ou dizer que é porcaria a única resposta e agressão verbal ou física rs.

    Não adianta discutir com ignorante…rs

  16. Byong disse:

    A imagem do artigo relata exatamente o tipo de cultura que o Brasil cultiva e não é à toa que é exatamente esta imagem que os estrangeiros tem do país.

    Lamentável saber que o Brasil está progredindo muito pouco em aspectos tão importantes.

  17. Marcelo disse:

    Mesmo lendo esse artigo meses depois que foi publicado parece que as coisas não mudaram muito, continua tocando as mesmas músicas.

    O que Byong disse e a mais pura verdade, em ano de copa e a imagem que passamos para os estrangeiro e um pais que vive em festa, ouvindo quadradinho de oite e lepo lepo.

  18. Até meados do ano 2000 o funk carioca tinha uma cara, era a do “favelado” que queria mostrar a vida dentro da comunidade. As letras continham diversos erros, mas continham um cunho social, digamos que tinha possuia uma “indentidade”.

    Sinceramente não sei quando começou essa onde de putaria desenfreada.O funk tinha sumido por um tempo e quando voltou , voltou pior do que era..

  19. Antonio Alves disse:

    Essa é a identidade transmitida para o mundo a fora, um povo de certa forma “caricaturado”, reforçando ainda mais o estereótipo do favelado aos olhos dos próprios brasileiros.

  20. Aldo Fraga disse:

    Ao final dos anos 90 (se não me engano) o funk tinha uma identidade social muito forte e marcante. Eu nunca fui super fã do estio, mas apreciava demais essa característica presente nas musicas.

    Gostaria muio de saber o que aconteceu para virar essa enxurrada de porcarias que somos obrigados a ouvir hoje. Lamentável!

  21. Adoro o blog!!!!! Artigos cada vez mais interessantes

  22. Amaral disse:

    O que me deixa mais “fulo” é saber que é exatamente esta imagem que os estrangeiros tem do nosso país.

  23. Amon disse:

    ótimo artigo, e é realmente lamentavel o rumo que o pais toma por conta dessa imagem

  24. Amon disse:

    ótimo artigo, e é realmente lamentavel o rumo que o pais toma por conta de culturas que influenciam apenas para coisas futeis

  25. Erivaldo disse:

    Esse arigo explicou com detalhes uma informação pouco discutida entre os pais e filhos.

    Se tivesse mais diálogo entre pais e filhos, talvez isso não fosse mais visto.

  26. Lamentável, fico pensando onde vamos parar.

  27. anderson disse:

    É triste observar como o desenvolvimento da música só declina em nossos tempos.

  28. ana disse:

    Triste a situação dessa nova geração. Precisamos de ações sociais urgentes.

  29. Carlos Mendes disse:

    Onde vamos parar? Infelizmente a imagem retrata uma situação atual. Esse declínio da música é realmente uma pena.

  30. Roberta disse:

    Sem dúvida que é constrangedor saber que “evoluímos” de tal maneira.

  31. Thiago disse:

    Infelizmente essa é a imagem que o estrangeiro tem de nosso país. Mas não seria por menos, a nova geração parece estar cada vez mais caminhando para essa imagem.

  32. Octavio disse:

    Triste de ver que essa é a imagem do nosso país. Avanços em diversas áreas e retrocesso em outras tantas.

  33. Susana disse:

    O brasileiro detesta quando o estrangeiro cria uma imagem decadente de nosso país. Mas infelizmente esta é a imagem que estamos projetando. Se queremos que falem bem de nós vamos dar motivos para isso minha gente.

  34. Pedro disse:

    Concordo Susana, sem dúvida que é essa imagem que está sendo projetada, devia existir mais preocupação nesse sentido.

  35. ana disse:

    Realmente nosso país está caindo na sua cultura.

  36. Edevaldo Lima disse:

    Verdade…. Esta é a imagem que as outras culuturas tem de nós. Lamentável.

  37. Mateus disse:

    A tendência é piorar mais e mais… Nossa cultura aos poucos está indo embora definitivamente.

  38. Fernando disse:

    Pura verdade… É esse o caminho cultural que o Brasil vai seguir ?

    A imagem do Brasil no exterior já está pra lá de sedimentada (negativamente é claro) e isso só contribui ainda mais. Lamentável.

  39. Felipe disse:

    Na época da matéria não sabíamos que ainda poderia piorar ainda mais, rs. Quem vai nos salvar?

  40. Alexandre disse:

    é uma pena essa ser a imagem que os estrangeiros terem dessa terra maravilhosa.

  41. Daniel disse:

    Acho que é uma questão de gosto. Essa imagem é tosca para muitas pessoas, assim como para mim, mas para outros é algo natural. Qual imagem queremos passar para os estrangeiros? De um país certinho e todo arrumadinho? Falta muito pra chegarmos nisso, mas temos muitas coisas realmente boas no Brasil. A culinária e as belezas naturais por exemplo.

  42. marcos disse:

    É impressionante até que ponto o brasileiro chega.

  43. Rodrigo disse:

    Eu nem acredito que esse tipo de dança é considerada como cultura brasileira. Absurdo.

  44. Dalino disse:

    Acho tudo isso muito ridiculo….

  45. Ale disse:

    Imagina como será 2058!

  46. Nicole disse:

    Acho que a idéia é cada vez mais produzir algo bizarro e chocante para aparecer. Na minha humilde opinião, o que falta aqui no nosso país são boas referências e exemplos. E o que são boas referências? Pensando rápido, seria mostrar para juventude a importância de estudar, como é a vida em países que tem qualidade de vida melhor, como melhorar e ter uma vida melhor, o que são boas atitudes. Talvez com a suposta melhora no nível financeiro das famílias, daqui algumas gerações a coisa melhore.

  47. Marcio disse:

    nem acredito que virou cultura isso, cada coisa nesse Brasil.

  48. Ganhar dinheiro disse:

    Ao final dos anos 90 (se não me engano) o funk tinha uma identidade social muito forte e marcante. Eu nunca fui super fã do estio, mas apreciava demais essa característica presente nas musicas.

  49. bela disse:

    Complicado, mas real. Infelizmente.
    Obrigada pelo artigo.

  50. importandocomsucessobr.com disse:

    Isso é realmente foda, literalmente. A cada ano a coisa piora. Fazer o que. É triste.

  51. Luciana disse:

    Como pode, isso não é dança, isso pra mim é se expor ao ridículo.

  52. luan disse:

    Eu fico perplexo como os pais ainda permitem que seus filhos ouçam e pratiquem esse tipo de dança. Eu sinceramente não compreendo.

  53. Henrique disse:

    Assim como a grande maioria não entendo como pode esses tipos de músicas façam sucesso.

  54. Sofia disse:

    Sei que tem gosto pra tudo. Mas tem certas coisas que não dá pra entender!

  55. Solange disse:

    Sinceramente não compreendo isso, de verdade mesmo! Sei que tem gosto pra tudo, mas nesse caso é complicado!

  56. É por esse e outros motivos que o Brasil não é levado a sério no exterior.

  57. Caio disse:

    Infelizmente a situação do nosso país está cada vez pior por coisas como essas.

  58. Paulo disse:

    Como é possível uma posição destas em uma música que, a princípio, deveria ser para diversão e dança…
    Acho que, infelizmente, a diversão deste tipo de música é essa:deixar as intenções sexuais o mais explícitas possível.

    Lamentável.

  59. Thamiris disse:

    Complicado, infelizmente não existe educação na casa, e nas escolas dessa juventude!!

  60. Mais Beleza disse:

    Complicado isso, hein.
    Tb não compreendo isso.
    Fazer o que. Vamos ver.

  61. Nice disse:

    Gosto não se discute.

  62. Emanuela disse:

    Nosso país está indo de mal a pior mesmo…

  63. infelizmente esse é o futuro de nosso país, não podemos nem culpar esses jovens, não tem uma base para sair desse senso, agora imagina a foto de 2020 como seria ? kkk

  64. Marco disse:

    Eu estive a espera de conteúdos de qualidade e encontrei o seu finalmente.

  65. Wendel Farias disse:

    Nunca mais eu deixo de ler esse site! Muito bom.

  66. É por isso que o Brasil não vai pra frente.

  67. Cauê Garcia disse:

    Excelente conteúdo! Certamente vai ajudar.

  68. Pedro Lucas disse:

    Isso não pode nem ser chamado de música!!!

  69. Agradeço imensamente pelo seu conteúdo! Muito eficiente.

  70. Concordo em gênero, número e grau!

  71. Muito interessante! Vou esperar mais conteúdo desse site.

  72. Luigi Muniz disse:

    Eu fiquei assustado com tanta informação de qualidade! Parabéns!

  73. Eu tenho que dizer que nunca vi conteúdos de tanta qualidade.

  74. ótima maneira de prender o leitor! muito massa.

  75. Klaus disse:

    Eu tô esperando mais conteúdos! Muito bom.

  76. Oliver disse:

    Muito massa esse artigo! Valeu mesmo.

  77. Rick disse:

    Excelente conteúdo!

  78. Cássio disse:

    Nós somos o espelho de nossa cultura. Basta observar os nossos políticos quase sempre corruptos. E no modelo musical não é diferente infelizmente.

  79. Perfeição Feminina disse:

    A cultura do Brasil é lamentável.

  80. Ademir disse:

    Cada um no seu quadrado…

  81. Antenor disse:

    triste essa ideia de “brasil”…

  82. Lucia pereira disse:

    Infelizmente essa é a realidade do brasil. Lamentável.

  83. Lucas Vinicius disse:

    Infelizmente essa é a nossa triste realidade hoje, mas ainda a esperança certo?!

  84. Patrícia disse:

    Realmente não podemos fazer nada, se a cultura do Brasil permanece a mesmas desde o início.

  85. Daniel da Silva disse:

    Estamos Perdidos neste Nosso Brasil Varonil !!!

    Quanta Besteira !!

    Daniel

  86. Paulo disse:

    Isso é Brazil!!!

  87. Ricardo Cunha disse:

    Viva o nosso país!!!

  88. Maria Aparecida Soares Lima Santos disse:

    Lúcia Pereira você falou a verdade em poucas palavras. Pois, infelizmente, esta é a nossa realidade e apenas lamentamos.

  89. Rafa disse:

    Fala Marcelão…

    Eu vivo me perguntando o que pode ter causado tamanha mudança no mundo? As vezes, chego a pensar que nasci em uma época errada, ao me sentir tão mais confortável com as coisas de antigamente do que as de hoje..

    É complicado. Mas é pior ainda, pensarmos no futuro e nos nossos filhos, eles sim, estarão perdidos =(

  90. Tere disse:

    é tá difícil as coisas por aqui

  91. Bruno disse:

    Lamentável o que vivemos no Brasil, sem explicação.

  92. luciana disse:

    Essa é a realidade do brasil.

  93. Nuna Oliver disse:

    Decepcionado com essa triste realidade do nosso querido Brasil

  94. Karliana Dias disse:

    A que ponto chegamos… As gerações passadas, ou seja meus avós ficam escandalizados com estas coisas…. Infelizemente.

  95. Alzira disse:

    Sem explicação o que passamos no Brasil

  96. CIBELE disse:

    É completamente decepcionante o que se passa aqui no nosso querido Brasil.

  97. Cassilda disse:

    Excelente site e de muita qualidade, adorei, continue com o belo trabalho que nós leitores online agradecemos em encontrar conteúdo como o seu.

Deixe uma resposta

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS