Meu caro amigo

29/ago/2012

Suas canções atuam como seres caprichosos e autônomos na história da música popular brasileira. Ele já foi exilado de seu país, execrado pela imprensa e exaltado pelos fãs. Estamos falando de Francisco Buarque de Hollanda; o compositor, intérprete e literato Chico Buarque. A máxima “tal pai, tal filho” cabe perfeitamente aqui, afinal Chico é o quarto dos sete filhos do historiador e sociólogo Sérgio Buarque de Hollanda e da pianista amadora Maria Amélia Cesário Alvim.

Como se deve imaginar o envolvimento com a cultura se deu de forma natural e intuitiva, apesar de competir, em pé de igualdade, com o apreço do menino Chico pelo futebol. Já na década de 60, então universitário, inicia sua carreira musical e se encontra com futuros nomes da MPB, como Caetano Veloso. Em 1966, vence o II Festival de Música Popular Brasileira e lança seu primeiro disco. É nesse clima de prosperidade que entra em desalinho, pela primeira de muitas vezes, com o regime militar vigente no país. Suas músicas ganharam repercussão extraordinária diante das artimanhas linguísticas presentes em suas letras; verdadeiros dribles criativos contra a censura imposta aos artistas da época.

Em 1969, inicia autoexílio na Itália e retorna ao Brasil em 70 com a gravação da música Apesar de você; um sucesso consensual. Mas a censura não tardou a lhe bater à porta e os seus discos foram banidos do mercado. Sua personalidade artística inquietante também eclodiu em peças teatrais célebres, filmes memoráveis e obras literárias não tão festejadas pela crítica.

Atitudes contestadoras em relação ao status quo o colocaram como pivô de episódios emblemáticos, como quando rompeu com a Rede Globo, nos anos 70, na preparação do VI Festival Internacional da Canção ou em 1978, quando foi detido pelo regime militar ao retornar de uma viagem à Cuba. Já na redemocratização do país em 1984, foi um dos maiores incentivadores da campanha Diretas Já.

Hoje, em 2012, Chico Buarque festeja os 50 anos de sua carreira como um poeta de seu tempo e sensível conhecedor das desventuras femininas, cantadas em verso e prosa em suas canções. Receba nossos parabéns, meu caro amigo.

Inté!

11 respostas para “Meu caro amigo”

  1. Rozy disse:

    Salve Chico! Um poeta da nossa história musical e revolucionária.

  2. danilo cardoso disse:

    O mais fantástico do trabalho de Chico Buarque é o de “brincar” com o diálogo através da música em forma de versos e poesia, e o trocadilho de idéias enriquecendo suas composições.

  3. Luis Menezes disse:

    Pra mim um dos melhores e mais completos artistas brasileiros!

    “Aqui na terra tão jogando futebol
    Tem muito samba, muito choro e rock’n'roll
    Uns dias chove, noutros dias bate o sol

    Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta

    Muita mutreta pra levar a situação
    Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
    E a gente vai tomando que também sem a cachaça
    Ninguém segura esse rojão”

    De 1963!

    Em 2012 tá do mesmo tamanho!

  4. Vilma Lima disse:

    Adorei o texto e a lembrança…o Chico tem a sua cara…só você mesmo! GRANDE CHICO! GRANDE REGINA!

  5. Maurício disse:

    Viva o homem que fez da poesia uma canção… E da canção armas pra revolução! E todo e qualquer Pedro pedreiro não foi mais o mesmo depois que a banda passou… Viva Chico Buarque de Holanda Brasileiro!

  6. Regina Tavares disse:

    Obrigada pelos comentários… Fico feliz em compartilhar minha “porção-fã” com vocês. Inté…

  7. Felipe Vergani disse:

    Ele é um grande cantor e compositor Brasileiro, mas eu não gosto das músicas dele.

  8. Elanhe Brito disse:

    Adoro as obras do Chico, acho ele um cidadão não apenas brasileiro mas mundial.
    Incomum, incomparável no tamanho de sua complexidade e principalmente desafiador.
    Sou fã de Cálice, Roda Vida entre outras! Cada vez que escuto uma de suas musicas acabo percebendo algo que ainda não tinha percebido isso para mim é Maravilhoso!!!
    viva o Chico!

  9. Elanhe Brito disse:

    Adoro as obras do Chico, acho ele um cidadão não apenas brasileiro mas mundial.
    Incomum, incomparável no tamanho de sua complexidade e principalmente desafiador.
    Sou fã de Cálice, Roda Vida entre outras! Cada vez que escuto uma de suas musicas acabo percebendo algo que ainda não tinha percebido isso para mim é Maravilhoso!!!

  10. Michele Marques disse:

    Puxa, que delícia ler sobre Chico, apesar do artigo pequenininho…

    Grande Chico..

    Tantos anos depois da ditadura e eis que nos deparamos com triste paralelo: a perversidade revestida de autoridade.

    * Chame ladrão! chame ladrão!!..kkkkkkk, é.. parece que voltamos no tempo, afinal, hoje também não sabemos se devemos temer as autoridades ou a marginalidade habitual…

    * Música: Acorda, amor!

Deixe uma resposta

ASSINE O FEED RSS

Acompanhe nosso blog pelo feed

O BLOG

O objetivo central do veículo é estimular o senso crítico e o poder de reflexão de seus leitores sobre temas que transitam entre conhecimentos científico e de caráter geral.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

TAGS